quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Música: Separação / Compositores: José Augusto e Paulo Sérgio Valle

Melhor assim
A gente já não se entendia muito bem
E a discussão já era coisa mais comum
E havia tanta indiferença em teu olhar

Melhor assim
Pra que fingir se você já não tem amor
Se os teus desejos já não me procuram mais
Se na verdade pra você eu já não sou ninguém

De coração, eu só queria que você fosse feliz
Que outra consiga te fazer o que eu não fiz
Que você tenha tudo aquilo, que sonhou

Mas vá embora
Antes que a dor machuque mais meu coração
Antes que eu morra me humilhando de paixão
E me ajoelhe te implorando pra ficar comigo

Não diz mais nada
A dor é minha, eu me aguento pode crer
Mesmo que eu tenha que chorar pra aprender
Como esquecer você

Mas vá embora
Antes que a dor machuque mais meu coração
Antes que eu morra me humilhando de paixão
E me ajoelhe te implorando pra ficar comigo

Não diz mais nada
A dor é minha, eu me aguento pode crer
Mesmo que eu tenha que chorar pra aprender
Como esquecer você

Imagem: http://casamento.culturamix.com/curiosidades/condicionamento-amoroso
Para ver e ouvir: YouTube (Simone).
Para ver e ouvir: YouTube2 (Ricky Vallen).

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Crônica: A dança da maçã / Autor: Luis Fernado Veríssimo

     Antônio chegou na hora marcada. Ainda tinha a chave do apartamento, mas preferiu bater. Luiza abriu a porta. Os dois se cumprimentaram secamente. 
     - Oi.
     - Oi.
     Antônio fez um gesto indicando os dois homens que estavam com ele. Um senhor e um mais moço.
     - Este é o seu Molina e este... Como é seu nome mesmo?
     - Arlei, disse o mais moço.
     - Arlei. Eles vieram me ajudar com a mudança.
     - Bom dia - disse Luiza. - Já está tudo mais ou menos separado.
     Algumas caixas de papelão e sacolas de plástico, uma lâmpada articulada de mesa de desenho, a mesa de desenho desmontada, uma taça de metal. Tudo junto perto da porta. 
     - Eu resolvi levar a poltrona - disse Antônio.
     - Tudo bem - disse Luiza.
     - É isso aí, pessoal - disse Antônio, abrindo os braços para mostrar o que seria levado. Isto, e aquela poltrona ali.
     Seu Molina estava examinando a taça.
     - É para o casal - disse.
     A inscrição na taça era "Campeões do Declaton dos Casais, Hotel da Flores, 1992 - Antônio e Luiza". O Declaton dos Casais incluía corrida do saco, corrida de pedalinho no lago do hotel e a dança da maçã. Uma maçã era colocada entre os joelhos do casal e eles tinham de fazê-la chegar à boca sem usar as mãos.
     - Eu não quero a taça - disse Luiza.
     - Eu também não - disse Antônio.
     - 1992... disse o seu Molina. - Era a lua-de-mel?
     Luiza e Antônio se entreolharam, mas só por um segundo.
     - Mais ou menos - disse Antônio.
     - Quem diria, não é? - disse o seu Molina.
     - O quê?
     - Em 1992. Que ia acabar assim.
     Antônio não podia dizer para o seu Molina não se meter na vida deles. Afinal, era um senhor. Pediu para o Arlei:
     - Vamos começar?
     Mas o Arlei estava mostrando um álbum que tirara de uma das sacolas de plástico.
     - Álbum de fotografia. Vai também?
     - Vai - disse Luiza. Tudo que está nas sacolas vai embora.
     Arlei estava olhando para o álbum. Mostrou para o seu Molina:
     - Olha os dois na praia.
     E fez um aceno de cabeça para Luiza, com as pontas da boca puxadas para baixo, querendo dizer "Sim senhora, hein?", e que a Luiza de biquíni não era de se jogar fora. Mas o seu Molina estava sério, olhando para Luiza.
     - Você não quer ficar com o álbum?
     Luiza perdeu a paciência.
     - Não quero ficar com nada disto, entende? O que está nas caixas e nos sacos, é para ir embora. São dele.
     - Podemos começar? - pediu Antônio.
     Arlei estava examinando os CDs dentro de outra sacola.
     - A divisão dos CDs... - disse. - Foi de comum acordo ou...
     - Eu fiquei só com os que já eram meus.
     - Você não quer examinar?
     A pergunta de Arlei era para Antônio.
     - Não. Isso tudo já estava combinado - respondeu Antônio. E, pegando uma das sacolas do chão para dar o exemplo, pediu. Vamos começar a levar para o caminhão?
     Mas Arlei continuava a examinar os CDs e seu Molina continuava com a taça nas mãos.
     - E a taça? - perguntou o seu Molina.
     - O senhor quer ficar com ela? - Pode ficar.
     - Foi vocês que ganharam - disse o seu Molina. E depois: - O que era o Declaton dos Casais?
     - Tinha de tudo. Corrida de saco, corrida de pedalinhos, dança da maçã...
     Seu Molina e Arlei, um uníssono:
     - Dança da maçã?
     - É. Colocaram uma maçã entre as pernas de cada casal, na altura dos joelhos, e ganhava quem conseguisse que a maçã chegasse na boca, para ser mordida, sem usar as mãos. Lembra, Lu?
     Luiza então estava sorrindo com a lembrança.
     - É. A gente tinha de se contorcer toda, para fazer a maçã andar. Quem deixasse cair no chão, perdia.
     - E vocês conseguiram morder a maçã?
     - Conseguimos. Não foi fácil, mas conseguimos.
     - Lembra do casal cearense, Lu?
     - Lembro! Ela foi ajudar com o joelho e acabou acertando o marido bem no... Bem ali.
     - E ele saiu pulando e gritando "Mulher, não maltrate o que é seu!"
     Os dois deram risadas, depois Antônio ficou sério e disse:
     - Bom, mas chega de lembranças. Vamos fazer essa mudança. Se o senhor quiser pode ficar com a taça, seu Molina.
     - Eu não. Uma lembrança destas, de um tempo tão alegre... Nenhum de vocês quer ficar com ela, mesmo?
     - Está bem, eu fico.
     Antônio e Luiza tinham falado ao mesmo tempo. E se corrigiram ao mesmo tempo:
     - Fica você.
     - Fica você.
     Seu Molina perguntou:
     - Vocês têm certeza que não querem pensar mais um pouquinho sobre isto?
     - Sobre a taça?
     - Sobre a separação. Só mais alguns dias. Depois nos chamem para fazer a mudança. Ou não nos chamem.
     Arlei sacudiu a sacola com os CDs e acrescentou:
     - Assim vocês têm mais tempo para pensar na divisão dos CDs. Na minha experiência, a divisão dos CDs é sempre o que dá mais problemas, depois.
     Luiza e Antônio estavam se olhando.
     - O que você acha? - Perguntou Luiza.
     - Não sei... - disse Antônio.
     Seu Molina e Arlei saíram e fecharam a porta em silêncio e deixaram os dois conversando.
     ...
     Naquela noite, depois do amor, Luiza perguntou a Antônio de onde tinha saído aqueles dois, Arlei e seu Molina, e Antônio respondeu que os escolhera ao acaso, na rua. Eles tinham um caminhão com uma placa do lado: "Mudanças, carreto, etc."
     - Bendito et cetera - disse Luiza, puxando o Antônio de novo.

Imagem: http://pixdaus.com/single.php?id=89404

domingo, 27 de novembro de 2011

Oração à Santa Bárbara

Ó Santa Bárbara,
que sois mais forte que as torres das fortalezas
e a violência dos furacões,
fazei com que os raios não me atinjam,
os trovões não me assustem
e o troar dos canhões não me abalem a coragem e a bravura.
Ficai sempre ao meu lado
para que eu possa enfrentar,
de fronte erguida e rosto sereno,
todas as tempestades e batalhas de minha vida,
para que, vencedor de todas as lutas,
com a consciência do dever cumprido,
possa agradecer a Vós, minha protetora,
e render Graças a Deus,
criador do céu, da terra e da natureza:
este Deus que tem o poder de dominar o furor das tempestades
e abrandar a crueldade das guerras.
Por Cristo, nosso Senhor, Amém.

Ficai sempre comigo para me dar forças.
Conservai meu coração em paz.
Que em todas as lutas da vida, eu saiba vencer, sem humilhar ninguém.

Santa Bárbara, rogai por nós.

Imagem: Wikipédia.

sábado, 26 de novembro de 2011

Livro: Los Miserables / Autor: Victor Hugo

1- "Hay momentos en que hasta la naturaleza parece hostil."

2- "... teniendo amor no se pierde la luz. No hay ceguera donde hay amor."

3- "Ciertas personas son malas únicamente por necesidad de hablar. Su palabra necesita mucho combustible y el combultible es el prójimo."

4- "Querer prohibir a la imaginación que vuelva a una idea es lo mismo que prohibir al mar que vuelva a la playa."

5- "Hay instintos para todos los encuentros de la vida."

6- "Es una cosa muy obscura y muy dulce ese grande y extraño sentimiento de un corazón que se pone a amar."

7- "Destruid la caverna Ignorancia, y destruiréis al topo Crimen."

8- "Todas las situaciones críticas tienen un relámpago que nos ciega o nos ilumina."

9- "Era astuto y equilibrado; silencioso o charlatán según la ocasión, y muy inteligente, jamás se emborrachaba; era un estafador redomado, un genial mentiroso."

10- "Las horas de éxtasis son siempre un minuto."

11- "Hay en el mundo dos clases de seres que se estremecen profundamente: la madre que encuentra a su hijo perdido, y el tigre que encuentra su presa."

12- "... las perlas no se disuelven en el fango."

13- "No ver a las personas es cosa que permite suponer en ellas todas las perfecciones."

14- "La utopía de hoy es carne y hueso mañana."

15- "Prueba admirable y terrible, de la que los débiles salen infames, de la que los fuertes salen sublimes. La vida, el sufrimiento, la soledad, el abandono, la pobreza, son campos de batalha que tienen sus próprios héroes; héroes obscuros, a veces más grandes que los héroes ilustres."

16- "La miseria, casi siempre madrasta, es a veces madre. La indigencia da a luz la fortaleza de alma; el desamparo alimenta la dignidad; la desgracia es la mejor leche para los generosos."

17- "El alma ayuda al cuerpo, y en ciertos momentos le sirve de apoyo."

18- "No hay nada más peligroso que la interrupción del trabajo, porque es una costumbre que se pierde. Costumbre fácil de perder y dificil de volver a adquirir."

19- "Morir de amor es vivir."

20- "Lo malo de los calabozos es que dejan soñar a seres que deberían estar trabajando."

21- "Dicen que la noche aconseja, y puede añadirse que tranquiliza."

22- "En las emociones violentas no se lee, se atrapa el papel, se le oprime como a una víctima, se le estruja, se le clavan las uñas de la cólera o de la alegría, se corre hacia el fin, se salta el princípio; la atención es febril, compreende algo, un poco, lo esencial, se apodera de un punto, y todo lo demás desaparece."

23- "Es proprio de las personas felices desear que las demás también lo sean."

24- "El primer paso no es nada; el último es el difícil."

25- "La naturaleza divide a los vivientes en seres que vienen y seres que se van. De ahí cierto devío, fatal en los viejos, involuntario en los jóvenes. Las ramas, sin desprenderse del tronco, se alejan. No es culpa suya. La juventud va donde está la alegría, la luz, el amor; la vejez camina hacia el fin. No se pierden de vista, pero no existe ya el lazo estrecho. Los jóvenes sienten el enfriamiento de la vida, los ancianos el de la tumba."

Imagem: http://www.livrosgratis.net/download/370/os-miseraveis--victor-hugo.html

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Poesia: Antagonismo / Autor(a): ?

Antes o pensamento não voasse tanto.
Este cansaço vem do esforço inútil,
da tentativa absurda
de levar consigo
o corpo escravo.

Destinos demais antagônicos.
Um - livre, independente, solitário;
o outro - rastejante, submisso de um viver promíscuo.

Tão grande é a vocação do corpo
para arrastar-se por lugares fáceis
que seduz quase sempre o pensamento; 
e o pensamento,
soberano frágil,
não consegue arrastá-lo nos seus vôos.



Imagem: http://sa-cool.deviantart.com/art/Is-alone-95567440?q=boost%3Apopular%20girl%20alone&qo=1

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Citações / Diversos Autores

"O amor terminado não é a morte mas é uma forma amarga de nascer."
- Pablo Neruda.

"Quando eu morrer voltarei para buscar os instantes que não vivi junto ao mar."
- Sophia de Mello.


"Amanhã é nunca. Agora é o que importa!"
- ?

"Devemos sempre dar a qualquer pessoa todas as possibilidades para que ela possa florescer."
- ?

"Aquele que cala escuta, não dissipa o que sabe e aprende o que ignora."
- ?

"A fraqueza não consiste em dizer tudo o que se pensa, mas em pensar tudo o que se diz."
- V. Hugo.

"A grande diferença está nos delhates. Um vinho pode custar dez ou vinte vezes mais do que outro, por ser um pouco melhor. Ele nunca será dez ou vinte vezes melhor."
- Heitor de P.

"Abençoados os que não têm nada a dizer, e se mantêm em silêncio, não se deixando persuadir do contrário."
- James R. Lowell.

"Não há progresso sem mudança. E quem não consegue mudar a si mesmo, acaba não mudando coisa alguma."
- George B. Shaw.

"Aprender (tal como ensinar) é difícil e requer atenção e dedicação, duas coisas que são incompatíveis com a distração."
- ?

"Meninos são assim: se há abismos, inventam pontes."
- ?

"Tudo é impermanente."
- Sidarta Gautama, Buda.

"O ideal seria que todas as pessoas soubessem amar o quanto elas sabem fingir."
- ?

"A guerra é um massacre entre gente que não se conhece, para proveito de pessoas que se conhecem, mas não se massacram."
- Paul Valéry.

"Diga-me com quem dormes e te direi com quem sonhas."
- Stanislaw Jerzy Lec.

"Pensar contra a corrente de seu tempo é heróico; dizê-lo é uma loucura."
- Eugène Ionesco.

"O homem é menos ele mesmo quando fala na sua própria pessoa. Dê-lhe uma máscara e ele dirá a verdade."
- Oscar Wilde.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Conto: Barulho de carroça / Autor(a): ?

Certa manhã meu pai convidou-me a dar um passeio no bosque e eu aceitei com prazer.
Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno silêncio me perguntou:
- Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa?
Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi:
- Estou ouvindo um barulho de carroça.
- Isso mesmo, disse meu pai. É uma carroça vazia...
Perguntei ao meu pai:
- Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos?
- Ora, respondeu meu pai. É muito fácil saber que uma carroça está vazia, é por causa do barulho. Quanto mais vazia a carroça, maior é o barulho que faz.
Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, inoportuna e interrompendo a conversa de todo mundo, tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo...
- Quanto mais vazia é a carroça, maior é o barulho!

Imagem: http://biadub.deviantart.com/art/carro-188031187?q=boost%3Apopular%20carro%C3%A7a&qo=17


terça-feira, 22 de novembro de 2011

Música: Assim sem fim / Compositores: Manuel Rosa e César Maurício


Não finja um beijo que
Já não é mais seu
Nem diga que esse chão
Da casa, não é mais meu

Se tem algo a dizer
Que devolva em goles sãos
Qual é o tempo dessa solidão?
Aonde é o centro desse furacão?

Vestida de brisa assim
Sob meus olhos de Zeus
Que te acompanham então
Na casa, que adormeceu

Nem tem tanto a dizer
Mas trago ouvidos e pão
Na velocidade de amores vãos
Aonde termina nossa solidão

Se prepare para o que for
No raso do coração
O que ainda é meu
Não me devolva não

Sorte assim sem fim
Porque ninguém percebeu
As marcas de dentes
Aonde você mordeu
Me tem tanto a dizer
Que o tempo eu conto assim
Pra gente comer sentados no chão
Aonde termina esse furacão

Imagem: Wikipédia (pintura de Jean Jacques Henner).
Para ver e ouvir: YouTube (Skank).

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Livro: A carícia do vento / Autora: Janet Dailey


1- "Não podemos voltar ao que já fomos. Um momento que passou não pode ser recuperado. Só um tolo o tentaria."

2- "A gente vira sobrevivente aprendendo a tirar o máximo de uma situação ruim."


3- "A vida não permite que se volte atrás nos caminhos, nem que se mude de direção. O hoje pode mudar o amanhã, mas não o ontem."

Imagem: http://amo-literaturaecinema.blogspot.com/2011/02/caricia-do-vento.html

domingo, 20 de novembro de 2011

Citações / Diversos Autores

"Podem me odiar, contanto que me temam."
- Calígula.

"Função do livro: informar e transformar."
- ?


"Quem teme os lobos, não vai à floresta."
- Lenin.


"Não se ensinam os homens a serem homens honestos, mas ensina-se tudo o mais."
- Pascal.

"... algo incrível misturou-se à tua argila e começou o amor a te devorar."
- Pablo Neruda.


"Revolucione-se cultutalmente: leia mais para ser mais."
- ?

"A realidade, a vida como ela é, não tem sucessos, tem momentos de alegria; e não tem fracassos, tem oportunidades de aprendizado."
- ?


"Festas e entretenimentos brilhantes e ruidosos trazem sempre no seu interior um vazio ou, melhor dizendo, uma dissonância falsa, mesmo porque contradizem de modo flagrante a miséria e a pobreza da nossa existência, e o contraste realça a verdade."
- Arthur Schopenhauer.

"É difícil acreditar que um homem está dizendo a verdade quando você sabe que mentiria se estivesse no lugar dele."
- Henry Louis Mencken.

"Se alguém manifesta o seu ódio, saiba que o sentimento é sempre autêntico: ao contrário do amor, o ódio ignora a hipocrisia."
- Julis Mazarin.

"A vida é dura e os primeiros 100 anos são os piores."
- Wilson Mizner.


"Nada em toda a criação é tão parecido com Deus quanto o silêncio."
- Mestre Eckhart.

"Dinheiro é bom, proporciona muita coisa, mas também tem o efeito perigoso de ampliar nossa capacidade de se iludir. Ele não freia o passar dos anos, não evita desilusões, não preenchem os grandes desertos da alma - mas como uma droga de ação prolongada nos dá a sensação de que estamos livres de todos esses males."
- Manuel Carlos.

sábado, 19 de novembro de 2011

Poesia: A timidez / Autor: Pablo Neruda

Apenas soube, só, que eu existia
e que poderia ser, ir continuando,
tive medo daquilo, desta vida,
e quis que não me vissem
que não conhecessem minha existência.
Ficando magro, pálido e ausente,
não quis falar para que não pudessem
reconhecer minha voz, não quis ver
para que não me vissem,
andando, me colei contra o muro,
uma sombra que se movimentasse.

Eu tinha me vestido
de telhas rotas, de fumo,
para seguir ali, mas invisível,
estar presente em tudo, mas distante,
guardar a própria identidade obscura
atada ao ritmo desta primavera.

Um rosto de menina, um golpe puro
de um sorriso partindo em dois o dia
como em dois hemisférios de laranja,
já mudara eu de rua,
ansioso pela vida e temeroso,
e perto da água sem beber o frio,
perto do fogo sem beijar a chama,
e me cobriu uma máscara de orgulho,
e fiquei magro, hostil como uma lança,
sem escutar ninguém
- porque eu é que impedia - 
encerrado
como a voz de um cachorro ferido
desde o fundo de um poço.

Imagem: Fabian Perez.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Livro: O rei do inverno / Autor: Bernard Cornwell


1- "A paz nunca dura."

2- "Um homem não é feito de querer e sim de fazer."

3- "O destino é inexorável. A vida é uma brincadeira dos Deuses, e não existe justiça. Você precisa aprender a rir, ou então vai simplesmente chorar até morrer."

4- "A vontade jovem costuma jorrar, enquanto a dos sábios flui constantemente."

5- "Os jovens odeiam admitir que cometem erros."

6- "Os bardos cantam sobre o amor e sobre como as mulheres desejam o amor, mas ninguém sabe o que ele é até que, como uma lança atirada do escuro, ele acerta."

7- "A raiva e o egoísmo são as qualidades que fazem o mundo marchar."

8- "Os marinheiros dizem que os ratos são os primeiros a abandonar um navio condenado."

9- "Um inimigo perdoado é um inimigo contra o qual teremos de lutar repetidamente."

10- "O amor é loucura, balançando do êxtase para o desespero num segundo insano."

11- "Os sonhos não se realizam através da cautela, e sim com o perigo ousado."

12- "Algumas inverdades são difíceis de se ouvir e impossíveis de perdoar."

Imagem: http://www.livrosgratis.net/download/682/rei-do-inverno-bernard-cornwell.html

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Poesia: Aprendi / Autor: Papoulla


Aprendi a conhecer você
assim como os pássaros
conhessem seus caminhos
sem dúvidas...
Num voo livre que se abre ao infinito...

Aprendi a caminhar com você
Assim como os rios caminham numa só direção,
num rumo direto de correntezas...
de passos firmes como as águas.

Aprendi a respeitar você
Assim como as estrelas respeitam o brilho
da lua que sabem que, como aquela...
só existe uma única no mundo.


Aprendi a brigar com você
Assim como as ondas do mar brigam
e se debatem inutilmente,
para depois se transformarem em suaves espumas...
na areia.

Aprendi a entender você
Assim como as montanhas entendem as nuvens
e se esticam como que pedindo chuva
para seus campos secos.

Aprendi a amar você
Assim como os pássaros amam a liberdade,
os rios amam as suas águas,
as estrelas amam o céu,
as ondas amam o mar
e as montanhas amam seus campos.

Aprendi a amar você
com o amor mais puro e sublime que existe em nós,
assim como amo a Deus... eternamente
assim como amo a mim mesma ou talvez...
Até um pouco mais!

Imagem: Sabryna Keisy.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Música: Mar e Sol / Compositores: Lokua Ganzá e Carlos Rennó.


Um sol, eu sou, para o seu mar oh meu amor
você, o mar é, para o meu sol para eu me pôr
Me pôr, em você, me espelhar, me espalhar
Meu sol, de arrebol, deitar no leito do seu mar

E entrar em você, em você queimar, arder
em você tremer, em você, em você morrer, morrer

Um só, um nó, de fogo e água, terra e céu
a sós, somos nós, de corpo e alma você e eu
E eu, a descer, a desnacer desvanecer
a ser, em você, um sol a se dissolver
Ao entrar em você, em você queimar, arder
em você tremer, em você, em você morrer, morrer

Depois, nós dois, olhos nos olhos, "vis-à-vis"
Nos seus, olhos meus, me vejo no que vejo ali
Ali, eu você, olho no olho a se espelhar
Amor, sem temor, olho o que eu olho me olhar
Ao entrar em você, em você queimar, arder
em você tremer, em você, com você morrer, morrer

Paixão de fogo de paixão
de fogo de paixão, de fogo de paixão
Em que me afogo de paixão
Me afogo de paixão, me afogo de paixão

Um sol, um nó, me afogo de paixão

Imagem: http://english.pousadapenareia.net/pictures_beach_sao_paulo_brazil/5618427739531766321/1/p
Para ver e ouvir: YouTube (Gal Costa). 

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Poesia: Distâncias / Autor(a): ?

Estrelas brilhantes, distantes estrelas,
pontos de luz que o olhar atinge,
ignorando os anos-luz do impossível.

Há desejos assim
Em distâncias vazias
que o pensamento percorre
Alheio a tempo e espaço,
esquecendo-se da exiquidade
de vida que possui
para viagens sem fim.

Estrelas brilhantes
que não mais se encontram
Nos pontos de luz que o olhar atinge.
E se encontrasse epílogo a esperança,
Apenas o silêncio das trevas
Onde brilhavam promessas de luz.


Imagem: http://www.ccvalg.pt/astronomia/enxames/enxames_abertos.htm

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Livro: As sete faces do sobrenatural / Autora: Márcia Kupstas

1- "Neste mundo repleto de ignorantes a sabedoria vale ouro. E nem sempre é na escola que se aprendem as grandes lições."

2- "O medo afasta as pessoas daquilo que elas não conhecem. Não é preciso temer o desconhecido. Não se sinta ameaçado pelas coisas que você não domina."


3- "Uns me chamam de maldade, outros de delírio ou assombração. Para alguns sou apenas um sonho e para outros tenho nome de intuição. Confie sempre, pelo resto de sua vida, em uma voz que você pode ouvir mas não sabe de onde vem. Mas nunca responda quando o chamarem pelo nome e você não souber de onde vem."

Imagem: http://www.skoob.com.br/livro/28619-sete-faces-do-sobrenatural

domingo, 13 de novembro de 2011

Livro: Provérbios (Bíblia) / Autores: Salomão, Agur e Lemuel (?)

1- "Porque melhor é a sabedoria do que jóias, e de tudo o que se deseja nada se pode comparar com ela." (8; 11)

2- "O ódio provoca brigas, mas o amor perdoa todas as ofensas." (10; 12)

3- "A integridade dos retos os guia, mas aos pérfidos a sua mesma falsidade os destrói." (11; 3)

4- "O homem bondoso faz bem a si mesmo, mas o cruel a si mesmo se fere." (11; 17)

5- "Como jóia de ouro em focinho de porco, assim é a mulher formosa que não tem discrição." (11; 22)

6- "Há fraude no coração dos que maquinam mal, mas alegria têm os que aconselham a paz." (12; 20)

7- "A ansiedade no coração do homem o abate, mas a boa palavra o alegra." (12; 25)

8- "O que guarda a boca conserva a sua alma, mas o que muito abre os lábios a si mesmo se arruína." (13; 03)

9- "Os bens que facilmente se ganham, esses diminuem, mas o que ajunta à força do trabalho terá aumento." (13; 11)

10- "A esperança que se adia faz adoecer o coração, mas o desejo cumprido é árvore de vida." (13; 12)

11- "O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo o disciplina." (13; 24)

12- "O pobre é odiado até do vizinho, mas o rico tem muitos amigos." (14; 20)

13- "O ânimo sereno é a vida do corpo, mas a inveja é a podridão dos ossos." (14; 30)

14- "Pela sua malícia é derrubado o perverso, mas o justo, ainda morrendo, tem esperança." (14; 32)

15- "Melhor um prato de hortaliças, onde há amor, do que o boi cevado, e com ele o ódio." (15; 17)

16- "O que rejeita a disciplina menospreza a sua alma, porém o que atende à repreensão adquire entendimento." (15; 32)

17- "O coração dos homens pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor." (16; 01)

18- "Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! E mais excelente adquirir a prudência do que a prata." (16; 16)

19- "Palavras agradáveis são como favo de mel, doces para a alma, e medicina para o corpo." (16; 24)

20- "Responder antes de ouvir é estutícia e vergonha." (18; 13)

21- "As riquezas multiplicam os amigos, mas ao pobre o seu próprio amigo o deixa." (19; 04)

22- "Ao generoso muitos o adulam, e todos são amigos do que dá presentes." (19; 06)

23- "A preguiça faz cair em profundo sono, e o ocioso vem a padecer fome." (19; 15)

24- "Quem se compadece do pobre ao Senhor empresta, e este lhe paga o seu benefício." (19; 17)

25- "Homem de grande ira tem de sofrer o dano; porque se tu o livrares, virás ainda a fazê-lo de novo." (19; 19)

26- "O vinho é escarnecedor, e a bebida forte alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido, não é sábio." (20; 01)

27- "O mexeriqueiro revela o segredo, portanto não te metas com quem muito abre os lábios." (20; 19)

28- "Quem ama os prazeres empobrecerá, quem ama o vinho e o azeite jamais enriquecerá." (21; 17)

29- "O preguiçoso morre desejando, porque as suas mãos recusam trabalhar." (21; 25)

30- "Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho não se desviará dele." (22; 06)

31- "Achaste mel? Come apenas o que te basta; para que não te fartes dele, e venhas a vomitá-lo." (25; 16)

32- "Não sejas frequente na casa do teu próximo, para que não se enfade de ti, e te aborreça." (25; 17)

33- "Como cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não tem domínio próprio." (25; 28)

34- "Quem se mete em questão alheia é como aquele que toma pelas orelhas um cão que passa." (26; 17)

35- "A vara e a disciplina dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma vem a envergonhar a sua mãe." (29; 15)

Imagem: Wikipédia.