sábado, 24 de dezembro de 2011

Poesia: Metades / Autor (a): ?

Lua cheia... noite... o reflexo de sua luz na água... a canção... a poesia... as minhas metades... e as suas...

Somos sempre duas metades, porque a vida é feita de escolhas.

Somos o sim e o não, ainda que haja o talvez.

Somos o amor e a razão, embora exista a loucura.

Somos o antes e o agora, ainda que estejamos sempre a espera do depois.

Somos lua e escuridão, simplesmente porque uma não pode existir sem a outra.

Somos corpo e espírito, embora a essência esteja na alma.

Somos medo e coragem, porque dentro de nós grita o desejo.

Somos vida e morte, mesmo que acreditemos na existência de apenas uma de cada vez.

Somos som e silêncio, ainda que nossas vozes independam deles.

Somos um constante ir e vir, porque ainda que estejamos aqui, estamos também em outros lugares.

Somos dúvida e certeza, simplesmente porque ambas são idênticas.

Somos ilusão e realidade... e na busca de nossas metades, de nada nos adianta saber, apenas sentir!

Porque saber nada significa quando percebemos que nossas metades são igualmente sagradas... e ambas se entregam à inexplicável magia da vida...


Imagem: Wikipédia.