sábado, 19 de maio de 2012

Conto: A ficha / Autor: Chico Xavier (ditado pelo espírito Irmão X)



     João Mateus, distinto pregador do Evangelho na seara espírita, na noite em que atingiu meio século de idade no corpo físico, depois de orar enternecidamente com os amigos, foi deitar-se. Sonhou que alcançava as portas da Vida  espiritual, e, deslumbrado com a leveza de que se via possuído, intentava alçar-se para melhor desfrutar a excelsitude do Paraíso, quando um funcionário da Passagem Celeste se aproximou, a lembrar-lhe, solícito:
     - João, para evitar qualquer surpresa desagradável no avanço, convém uma visita de olhos em sua ficha...
     E o viajante recebeu primoroso documento, em cuja face leu espantadiço:
     -João Mateus.
     -Renascimento na Terra em 1904.
     -Berço manso.
     -Pais carinhosos e amigos.
     -Inteligência preciosa.
     -Cérebro claro.
     -Instrução digna.
     -Bons livros.
     -Juventude folgada.
     -Boa saúde.
     -Invejável noção de conforto.
     -Sono calmo.
     -Excelente apetite.
     -Seguro abrigo doméstico.
     -Constante proteção espiritual.
     -Nunca sofreu acidentes de importância.
     -Aos 20 anos de idade, empregou-se no comércio.
     -Casou-se aos 25, em regime de escravização da mulher.
     -Católico romano até os 26.
     -Presenciou, sem maior atenção, 672 missas.
     -Aos 27 de idade, transferiu-se para as fileiras espíritas.
     -Compareceu a 2.195 sessões de Espiritismo, sob a invocação de Jesus.
     -Realizou 1.602 palestras e pregações doutrinárias.
     - Escreve cartas e páginas comoventes.
     -Notável narrador.
     -Polemista cauteloso.
     -Quatro filhos.
     -Boa mesa em casa.
     -Não encontra tempo para auxiliar os filhos na procura do Cristo.
     -Efetuou 106 viagens de repouso e distração.
     -Grande intolerância para com os vizinhos.
     -Refratário a qualquer mudança de hábitos para a prestação de serviço aos outros.
     -Nunca percebe se ofende o próximo, através da sua conduta, mas revela extrema suscetibilidade ante a conduta alheia.
     -Relaciona-se tão-somente com amigos do mesmo nível.
     -Sofre horror às complicações da vida social, embora destaque incessantemente o imperativo da fraternidade entre os homens.
     -Sabe defender-se com esmero em qualquer problema difícil.
     -Além dos recursos naturais que lhe renderam respeitável posição e expressivo reconforto doméstico, sob o constante amparo de Jesus, através de múltiplos mensageiros, conserva bens imóveis no valor de Cr$ 600.000,00 e guarda em conta de lucro particular a importância de Cr$ 302.000,00.
     -Para Jesus, que o procurou na pessoa de mendigos, de necessitados e doentes, deu durante toda vida 90 centavos.
     -Para cooperar no apostolado do Cristo, já ofereceu 12 cruzeiros em obras de assistência social.
     -Débito.............................................................
     Quando ia ler o item referente às próprias dívidas, fortemente impressionado, João acordou. Era manhãzinha...
     À noite, bem humorado, reuniu-se aos companheiros, relatando-lhes a ocorrência. Estava transtornado, dizia. O sonho o modificara-  lhe o modo de pensar. Consagrar-se-ia doravante a trabalho mais vivo no movimento espírita. Pretendia renovar-se por dentro, reuniria agora palavra e ação.
     Para isso, achava-se disposto a colaborar substancialmente na construção de um lar destinado à recuperação de crianças desabrigadas que, desde muito, desejava socorrer.
     A experiência daquela noite inesquecível era, decerto, um aviso precioso. E, sorridente, despediu-se dos irmãos de ideal, solicitando-lhes novo reencontro para o dia seguinte. Esperava assentar as bases da obra que se propunha levar efeito.
     Contudo, na noite imediata, quando os amigos lhe bateram à porta, vitimado por um acidente das coronárias, João Mateus estava morto.