segunda-feira, 23 de julho de 2012

Poesia: Paudarco / Autor: Caio Cid

Paudarco gigantesco! Pelos traços
lembra um deus milenar, rude e iracundo,
que detivesse, de repente, os passos
e ali ficasse contemplando o mundo.

Preso pela raiz ao chão profundo,
a fronde a farfalhar pelos espaços,
bebe a seiva nutriz no solo imundo,
mas para o céu é que levanta os braços.

Prometeu vegetal, brame, se estorce
e, por mais que proteste e se esforce
não se libera da imobilidade.

Acorrentado ao pedestal da serra,
embalde é o sonho de fugir à terra,
o anseio de galgar a imensidade.

Imagem: http://www.flickr.com/photos/81867772@N06/7499239852/