quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Poesia: O Palhaço / Autor: Vicente Freitas

Quando o palhaço a dor num riso esculpe-a
e transmuda-a num tênue pranto, e vence-o
sente, às vezes, aflição, uma volúpia
que o faz sofrer sorrindo ou em silêncio.

No picadeiro canta e rola e cala
ninguém sabe quem é, qual o seu nome
qual a família que a miséria embala
quais os filhinhos, muita vez, com fome.

Conta histórias, alegre... e logo finda
sorri e canta alguma coisa linda
não tinha inspiração, mas apelava.

E eu que, pasmado, tanto gargalhava
fico confuso e mais surpreso ainda
não sorria o palhaço, e sim, chorava.

Imagem: http://garelito.deviantart.com/