segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Oração Pai Nosso (reflexão)

Se em minha vida não ajo como filho de Deus, fechando meu coração ao amor, será inútil dizer: Pai Nosso

Se os meus valores são representados pelos bens da Terra, será inútil dizer: que estais no Céu


Se penso apenas em ser cristão por medo, superstição e comodismo, será inútil dizer: santificado seja o Vosso Nome


Se acho tão sedutora a vida aqui, cheia de supérfluos e futilidades, será inútil dizer: venha a nós o Vosso Reino


Se no fundo o que eu quero é que todos os meus desejos se realizem, será inútil dizer: seja feita a Vossa Vontade assim na Terra como no Céu


Se prefiro acumular riquezas, desprezando meus irmãos que passam fome, será inútil dizer: o pão nosso de cada dia nos dai hoje


Se não me importo em ferir, injustiçar, oprimir e magoar aos que atravessam o meu caminho, será inútil dizer: perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido


Se escolho sempre o caminho mais fácil, que nem sempre é o caminho do Cristo, será inútil dizer: e não deixeis cair em tentação


Se por minha vontade procuro os prazeres materiais e tudo o que é proibido me seduz, será inútil dizer: mas livrai-nos do Mal


Se sabendo que sou assim, continuo me omitindo e nada faço para me modificar, será inútil dizer: Amém.


Imagem: http://christmas4u.tumblr.com/post/34070306473

domingo, 23 de dezembro de 2012

Cordel: A, B, C, dos idôzo / Autor: José Artur de Loiola


Com A eu rimo Amizade
Dos velhos de Lisieux
Com muita satisfação
Agora vou escrever
Da nossa tecera idade
Basta a felicidade
E saúde pra viver.

Com B eu rimo Bondade

Que tem dentro do salão
Com muita fé em Deus
E a Vigem da Conceição
Brincando com aligria
Idôzo tem simpatia
E também tem devoção.

Com C eu rimo Consciência

Que o nosso idôzo tem
São caumo, são educado,
Não da piada em ninguém
Corajôzo e tem respeito
E todos são satisfeito
Eu dou o meus parabem.

Com D eu rimo Dança

Que o idôzo se rebola
Quem nunca dançou aprende
Pois aqui é uma escola
Dançando o velho faz fisca
Mesmo sem puder arisca
Se não os nervos enrola.

Com E eu rimo enrolado

O que não quiser dançar
Chega em nossa reunião
Cuida logo em se sentar
Encostado na cadeira
Tendo saúde não queira
Este forró dispensar.

Com F eu rimo Famôzo

idôzo dansador
Que dizemrola dansando
Este é que do valor
Forte para dansar
Faz a coluna esticar
Velho assim não sente dor.

Com G eu rimo Garantida

A idóza dansadeira
Esta sei que tem saúde
No salão é de primeira
Garôta de 15 ano
Fica até le invegando
Diz ou velha fofoqueira.

Com H eu rimo Hora

Que o encontro comessa
As 4 horas da tarde
Todos idôzos se apressa
Horando já ná chegada
Rezando com as mãos dada
Até parece promessa.

Com I eu rimo Idôzo

Que é o nosso estatuto
Na nossa teseira idade
Tem valor absoluto
Pois o idôzo é direito
Apenas nosso defeito
É porque somo matuto.

Com J eu rimo José

Se tem a teseira idade
Não reclame dese velho
Pessa a Deus felicidade
Jesus quem da boa vida
Saúde e vida coprida
E prazer da musidade.

Com L eu rimo Luz

De nosso Deus puderoso
Nos livre dos maginal
Dos momento pirigozo
Lumine a nossa idade
De muita felicidade
Pra todos jove idôzo.

Com M eu rimo Maria

As idóza assosiada
Maria é Mãe de Jesus
Uma letra abemsuada
Maria do Sauvador
Pois pessa Nosso Senhor
Proteja nossa morada.

Com N eu rimo Nubia

Uma minina educada
Professora inteligente
Com os idôzo é comportada
Nubia é bem competente
O seu serviço é desente
Não aburese com nada.

Com O eu rimo Oruvalho

Caindo encima das rozas
Pois a velise eu comparo
Com flores que foi cheroza
Hoje a flor já se venceu
As fruta amadureceu
E esta fruta é gostosa.

Com P eu rimo Passado

Que eu tive na musidade
Muito ligeiro passou
Ainda sinto saudade
Mais gravo dentro do peito
E tembém sou satisfeito
Na minha tecera idade.

Com Q eu rimo Quantia

Tão pouca que é criança
O jovem é muito ligeiro
Feliz quem velho aucança
Quantidade mais comprida
É muito feliz na vida
A nossa preseverança.

Com R eu rimo Riqueza

Do valor tendo saúde
Se o idôzo é sadio
É cuberto de virtude
Rico sem ter dieiro
É saudave é verdadeiro
Pois dieiro não me ilude.

Com S eu rimo Saudade

Do tempo que fui souteiro
Eu nunca fui brincaião
Nem andava com dieiro
Saúde tinha dimais
No meu tempo de rapais
Fui ativo e verdadeiro.

Com T eu rimo Tempo

Aqui dentro do salão
Se passa muito ligeiro
A nossa reunião
Velho dança no forró
Escorre tanto suó
De moiá até o chão.

Com U eu rimo Urgente

É a danza do idôzo 
Pois não pode demorar
Que o velho fica nervôzo
Urgente para dançar
Custôza pra trabalhar
Sempre o velho é priguisôzo.

Com V eu rimo Verdade

Que as letras se formou
Escrevi com atenção
Que o idôzo  dou valor
Verdade pura sagrada
Nossa vida abensuada
Deus do Céu abensuou.

Co X eu rimo Xote

Que o velho ainda dança
Com os pés já pezado
Ainda sacode a pança
Xote, vausa, um baião
Velinho pende no chão
Mais ainda se balança.

Com Z eu rimo Zangado

Que não veio acompanhar
A nossa reunião
Não dá valor o lugar
Zangado não da valou
idôzo dançadou
Vem aqui para brincar.

Escrevi este A, B, C,

Não foi para defamá
Gosto destes idôzos
Eu fiz para ilugia
Eu gosto da puizia
Escrevi por sipatia
Terminei na letra A.

Imagem: http://krazymonkeboy.deviantart.com/

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Discurso: Mahatma Gandhi sobre o mistério da oração.

"Sem oração, não pode haver consciência da própria fraqueza. A oração é a chave que abre a porta da manhã e fecha a porta da noite. Só de Deus, por meio da oração, vem toda a nossa força. 

Rezar não é pedir. Rezar é a respiração da alma.

Encontrei gente que inveja minha paz. Esta paz vem-me da oração. Não sou um homem de cultura, mas penso, humildemente, ser um homem de oração.

A oração salvou-me a vida. Sem ela eu estaria louco, há muito tempo. Se consegui libertar-me do desespero, foi graças a oração.

A oração não foi parte da minha vida, como o foi a verdade. A oração desabrochou simplesmente da necessidade, quando me encontrava em situações nas quais não poderia absolutamente ser feliz, sem ela.

Com o passar do tempo a minha fé em Deus aumentou, e o desejo de rezar tornou-se irresistível.

Para viver no meio dos homens é necessária uma força eficaz, absoluta: a da oração. O corpo humano pode viver, temporariamente, sem alimento. Alma, sem oração, morre. O jejum da oração não existe. Rezar é estar com Deus."

Imagem: http://photolynns.tumblr.com/post/28693625975

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Parábola Simples / Autor: Chico Xavier (ditado pelo espírito Irmão X)

     Diversos aprendizes rodeavam o Senhor, em Cafarnaum, em discussão acesa, com respeito ao poder da palavra, acentuando-lhes os bens e os males.
     Propunham alguns o verbo contundente para a regeneração do mundo, enquanto outros preconizavam a frase branda e compreensiva.
     Reparando o tom de azedia nos companheiros irritadiços, o Mestre interferiu e contou uma parábola simples.
     - Certa feita - narrou, com doçura -, o Gênio do Bem, atendente à prece de um lavrador de vida singela, emitiu um raio de luz e insuflou-o sobre o coração dele, em forma de pequenina observação carinhosa e estimulante, através de uma boca otimista. No peito do modesto homem do campo, a fagulha acentuou-se, inflamando-lhe os sentimentos mais elevados numa chama sublime de ideal do Bem, derramando-se para todas as pessoas que povoavam a paisagem.
     Em breve tempo, o raio minúsculo era uma fonte de claridade a criar serviço edificante em todos os círculos do sítio abençoado; sob a sua atuação permanente, os trigais cresceram com promessas mais amplas e a vinha robusta anunciava abundância e alegria.
     Converteu-se o raio de luz em esperança e felicidade na alma dos lavradores e a seara bem provida avançou, triunfal, do campo venturoso para todas as regiões que o cercavam, à maneira de mensagem sublime de paz e fartura.
     Muita gente ocorreu aquele recanto risonho e calmo, tentando aprender a ciência da produção fácil e primorosa e conduziu para as zonas mais distantes os processos pacíficos de esforço e colaboração, que o lume da boa vontade ali instalara no ânimo geral.
     Ao fim de alguns poucos anos, o raio de luz transformara-se numa época de colheitas sadias para a tranquilidade popular.
     O Mestre fez pequeno intervalo e continuou:
     - Veio, porém, um dia em que o povo afortunado, orgulhando-se agora do poderio obtido com o auxílio oculto da gratidão que devia à magnanimidade celeste e pretendeu humilhar uma nação vizinha. Isso bastou para que grande brecha se abrisse à influência do Gênio do Mal, que emitiu um estilete de treva sobre um coração de uma pobre mulher do povo, por intermédio de uma boca maldizente.
     A infortunada criatura não mais sentiu a claridade interior da harmonia e deixou que o traço de sombra se multiplicasse indefinidamente em seu íntimo de mãe enceguecida... Logo após, despejou a sua provisão de trevas, já transbordante, na alma de dois filhos que trabalhavam num extenso vinhedo e ambos, envenenados por pensamentos escuros de revolta,  facilmente encontraram companheiros dispostos a absorver-lhes os espinhos invisíveis de indisciplina e maldade, incendiando vasta propriedade e empobrecendo vários senhores de rebanhos e terras, dantes prósperos.
     A perversa iniciativa encontrou vários imitadores e, em tempo curto, estabeleceram-se estéreis conflitos em todo o reino.
     Administradores e servos confiaram-se, desvairados, a duelo mortal, trazendo o domínio da miséria que passou a imperar, detestada e cruel para todos.
     O Divino amigo silenciou por minutos longos e acrescentou:
     - Nesta parábola humilde, temos o símbolo da palavra preciosa e da palavra infeliz. Uma frase de incentivo e bondade é um raio de luz, suscetível de erguer uma nação inteira, mas uma sentença perturbadora pode transportar todo um povo à ruína...
     Pensou, pensou e concluiu:
     - Estejamos certos de que se lhe oferece à paisagem, a treva rola também, enegrecendo o que vai encontrando. Em verdade, a ação é dos braços, mas a direção vem sempre do pensamento, através da língua. e sendo todo homem filho de Deus e herdeiro Dele, na criação e na extensão da vida, ouça quem tiver "ouvidos de ouvir".

Imagem: http://besttravelphotos.wordpress.com/

sábado, 8 de dezembro de 2012

Poesia: Desperdício / Autor: Carlos Drummond de Andrade

Solidão, não te mereço,
pois que te consumo em vão.
Sabendo-te embora o preço,
calco teu ouro no chão.

Imagem: http://by-enis.deviantart.com/

Música: Estranged / Compositor: Axl Rose

When you're talkin to yourself
And nobody's home
You can fool yourself
You came in this world alone (alone)

So nobody ever told you baby
How it was gonna be
So what'll happen to you baby
Guess we'll have to wait and see
One, two

Old at heart but I'm only 28
And I'm much too young
To let love break my heart
Young at heart but it's getting much too late
To find ourselves so far apart

I don't know how you're supposed
To find me lately
And what more could you ask from me
How could you say that I never needed you
When you took everything
Said you took everything from me

Young at heart an it gets so hard to wait
When no one I know can seem to help me now
Old at heart but I musn't hesitate
If I'm to find my own way out

Still talkin' to myself
And nobody's home (alone)

So nobody ever told us baby
How it was gonna be
So what'll happen to us baby
Guess we'll have to wait and see

When I find out all the reasons
Maybe I'll find another way
Find another day
With all the changing seasons of my life
Maybe I'll get it right next time
And now that you've been broken down
Got your head out of the clouds,
back down on the ground
And you don't talk so loud
And you don't walk so proud
Any more, and what for

Well I jumped into the river
Too many times to make it home
I'm out here on my own, an drifting all alone
If it doesn't show give it time
To read between the lines
'Cause I see the storm getting closer 
And the waves they get so righ
Seems everything we've ever known's here
Why must it drift away and die

I'll never find anyone to replace you
Guess I'll have too make it through, this time
Oh, this time
Without you

I knew the storm was getting closer
And all my friends said I was high
But everything we've ever known's here
I never wanted it to die

Para ver e ouvir: YouTube.
Imagem: Sabryna Keisy.